Nesse ano que passou, meus 11 anos, realmente começaram os probleminhas adolescentes conhecidos por todos e outros peculiares da minha saúde.

No meu aniversário que seria um discoteca, eu quos ta mbem motivo de barbie, e dei chorei muito quando vii que não ia ganhar uma boneca…Minha mãe foi lá na loja, faltando poucas horas e  me trouxe uma..rsrsr! Eu briguei com meu pai feio nesse dia, nem lembro porque,  mas lembro claramente dele me ameaçando pro no clégio interno se eu não parasse de desafia-lo. Teimosa essa menina.

Nesse ano tambem o médico pediu para que tivesse acompanhamento psicológico a fim e me preparar para a cirurgia dos pés. Eu ia lá, ficava desenhando, desenhando..era legal. Um dia , do nada, eu me levantei, olhei pra cara dele e mandei:”Pra que isso?? Eu espero essa cirurgia desde os 4 anos, estou muito esclarecida sobre tudo, não tenho nada a fazer aqui!” (rsrsrsr!) O resultado foi, esporro do pai, apoio da mãe …e eu sai.  Afinal..eu já tinha coisa de mais pra fazer…rsrsrsr!

Acabaram as aulas, era hora de pensar na cirurgi, se preparar pra viagem. Lá fomos nós, antes ficmaos uma semana em um chalé lindo em Rio das Ostras, acho que meus pais queriam me distrair. Eu brinquei e briguei muito com minha irmã, minha companheirinha. Estavamos todos nervosos, fomos pra Sao Roque denovo, ficamos na casa de amigos.

O quarto onde estávamos tinha sido de alguem especial, um amigo da familia com o qual eu me dava muito bem, mas que infelizmente foi levado cedo pelas drogas, entao, no quarto vazio, a alegria da mniha familia havia chegado.

A esperança era grande, eu iria andar com os dois pés totalmente no chão, joelhos esticados, coluna reta. Viajamos para Sorocaba, uma viagem de esperança e apreensão.

Write a Reply or Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *