Você faz a mínima idéia de como é incômodo ouvir a pergunta…Oque voce tem na perna? imendado em um…É de nascença (sim, porque esse tipo de gente quase sempre num sabe falar nascência!)?

Pois é assim que começo este post…Oque é que os seres humanos têm na cabeça??

O tempo passava, procuramos os melhores médicos em São Paulo, Escola Paulista de Medicina…vários exames…Chegamos até Dr. Celso Simonetti, ortopedista muito competente que encarou o desafio de operar meus pés, tortos por conta da má formação. Começamos a peleja, todos os anos exames de raio x para ver se o pé havia parado de crescer…Só com 12 anos, o doutor dizia, mas temos que monitorar as alterações. Eu retrucava…Não, Nossa Senhora Aparecida me avisou, é com 11anos!

Vou fazer uma pausa aqui pra contar esse causo. Um dia Nossa Senhora Aparecida, a imagem, foi visitar minha cidadezinha, e a cidade por sua vez, fez uma procissão em sua homenagem…Eis que lá fomos nós, ver a linda passada dela pelas ruas. Meu pai me pois sentada no que chamamos de cacunda, ou nos ombros e me levou para ela. Eu encostei as mãos, e meu pai falou..Filha, pede pra você ficar boa.  Eu respondi com um sorriso infantil e inocência … Não precisa, ela já me disse que será com 11 anos que meu pé vai ficar bom.

Por isso, eu insisti…

Quando eu tinha 9 anos nós nos mudamos de voltamos pro Rio, interior. Primeira escola lá era chique , cheia de meninos mimados logo, percebi que não era fácil,  a tal da integração social. Recreio, ou intervalo. Galera correndo, Alice sentada. Esportes?? Ninguém merece…Já é dificil, imagina então quando ninguém anda com você, te zoam (sim, criança é terrível!). Não tinha amigos, só um menino, um bom amigo.

Como era de se esperar eu não me adaptei, outro Estado, outro sotaque (zoada tambem por puxarrr o R), gente metidinha..eu ainda tinha que passar direto e a mudança tinha sido no meio da segunda série (maldita matemática).

Pois é, passei de ano e só no outro ano é  que mamãe me mudou. Afinal, pra que fugir?? Eu ia enfrentar essas dificuldades sempre, teria que aprender a lidar com elas.

Na terceira série.. colégio novo, vida nova. QUE NADA! Tudo igual, dificuldades, crianças más (brincadeira, criança nunca vai ser má), mas que trancaram no banheiro, ah isso trancaram…E o pior que agora o novo probmea era que eu estava sendo bem tratada demais pela escola e os outros alunos tinham ciúme. A guerra tava tão brava que eu esta tendo crises nervosas antes de ir pra escola. Mediante febres e vomitos, minha mãe mais uma vez cedeu…Adivinha quando eu poderia ir pra outra escola? No começo do outro ano…Tinha que concluir a tortura.

Bem vinda a quarta série! E com uma arma secreta, além de colégio de Feiras, a professora me viu nascer…ali finalmente eu segui tranquila. Voces estão contanto? Estou com 11 anos, depois de muita insistência, la fomos nós nas férias de julho fazer o exame nos pés. O resultado, para a supresa de alguns, foi que eu ja poderia ser operada. Marcamos para as férias de fim de ano, pois eu tinha que terminar o ano escolar. UFA!

Write a Reply or Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *